Limeira : CPI ouve síndicos sobre problemas no fornecimento de água da BRK em condomínios
26/03/2024 15:07 em Novidades

Concessionária informa que obras no sistema de abastecimento devem ser finalizadas até 2026

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a Prefeitura quanto aos serviços prestados pela concessionária BRK Ambiental se reuniu nesta terça-feira, 26 de março, e ouviu síndicos que relatam problemas no abastecimento de água em diferentes condomínios residenciais, especialmente nas regiões do Jardim do Lago e Chácara Antonieta. Esta semana, os vereadores também receberam oficialmente resposta da BRK acerca do cronograma de investimentos realizados em Limeira para resolver definitivamente as interrupções no fornecimento de água.  

A reunião foi transmitida ao vivo e o vídeo com todas as falas pode ser conferido na íntegra neste link. As deliberações são registradas em ata.

Condomínios

Durante as oitivas, os representantes de condomínios destacaram que a dificuldade no acesso à água fornecida pela BRK se repete todos os anos e que há um agravamento do problema a partir dos meses de setembro e outubro. Nesse período são registradas temperaturas mais elevadas e consumo maior de água. Também relataram que a diminuição na pressão das redes de distribuição seria uma possível manobra feita pela BRK para manter o abastecimento na cidade. Contudo, essa queda de pressão afeta diretamente os reservatórios dos condomínios, que não recebem água em volume e pressão suficientes para encher. 

Graziela de Araújo Jesus foi a primeira a ser ouvida pela CPI. Síndica dos condomínios Parque Lua Nova, Parque Livorno e Residencial Rubi A, na região do Jardim do Lago, ela relatou problemas de falta de água nas unidades e que foi necessário adotar medidas internas de racionamento no consumo, para evitar a contratação de caminhões-pipa pelos condôminos.

A fala na íntegra está disponível em vídeo neste link.

Em seguida, Diego Mussato, que administra diferentes condomínios na cidade, ratificou que há falhas no fornecimento de água na região do Jardim do Lago. Ele mencionou o Parque London, Lazio e Vale das Oliveiras. Destacou que o problema ocorre desde novembro e que nos últimos 15 dias houve um agravamento. Informou que, como forma de garantir acesso das famílias à água, é necessário fazer a contratação de caminhões-pipa, e que a despesa nem sempre é custeada pela BRK. O síndico Diego apontou que regularmente a pressão baixa no volume de água do sistema dificulta a oferta do recurso para os condomínios, principalmente no Parque London. 

A fala na íntegra está disponível em vídeo neste link.

Por fim, Renan Chinelatto, representando o condomínio Alfredo Guilherme Schnoor, afirmou que os moradores do residencial localizado na região da Chácara Antonieta, sofrem com falta de água. Relatou que em 2023 a situação foi mais sentida pelos condôminos. Mencionou que, as interrupções não costumavam durar mais que 24 horas, porém em novembro do ano passado o condomínio chegou a ficar uma semana sem abastecimento. Ele citou prejuízos com despesas na contratação de caminhões-pipa para atender as famílias das 52 unidades, nesse período e pediu a compreensão da concessionária para garantir o ressarcimento.  

Chinelatto descreveu que em 2024 não foi registrada interrupção, uma vez que o condomínio investiu na aquisição de uma bomba para conseguir puxar a água que chega da rua e levá-la até o reservatório. O síndico criticou que o volume mínimo de pressão da água entregue pela BRK, calculada em 10 metros de coluna d'água (MCA), não é suficiente para atender condomínios verticais, pois não há força para chegar aos reservatórios mais altos nas torres. Salientou que o condomínio que administra possui quatro andares e ainda assim a pressão do sistema de abastecimento não é adequada para atendê-lo.

A fala na íntegra está disponível em vídeo neste link.

Os representantes da BRK se manifestaram durante a reunião em relação à pressão da água. Eles responderam que a concessionária atende à legislação que prevê a medição mínima de 10 MCA. Sinalizaram que situações como as relatadas no condomínio Alfredo Guilherme Schnoor dependem de medidas na estrutura interna do condomínio. A respeito das faturas e pedidos de ressarcimento, solicitaram que todas as demandas devem ser encaminhadas à concessionária para análise, especialmente do ponto de vista legal sobre cada ocorrência.  

Diante dos relatos dos síndicos, a vereadora Terezinha da Santa Casa (PL) demandou que a BRK informe a CPI sobre as tratativas para as demandas de todos os condomínios e a evolução desses atendimentos. O requerimento foi aprovado pelos demais vereadores para tramitação.    

Investimentos

No ofício entregue à CPI, a empresa informou que entre 2020 e 2023 foram investidos R$ 170 milhões e que continuará realizando investimentos em 2024, seguindo as estimativas e projeções contratuais formalmente aprovadas pela Prefeitura de Limeira e pela agência reguladora Ares-PCJ. As obras executadas compreendem projetos como nova adutora de água com diâmetro de 400 milímetros e extensão total de 2.875 metros lineares, bem como reservatório de água tratada na região do Jardim Fênix, com capacidade de 1.600 metros cúbicos. Os investimentos, segundo a BRK, permitem o aumento da capacidade de transporte de água e atende às demandas de munícipes de regiões como Jardim do Lago.    

As obras têm previsão para conclusão até meados de 2026. “Desde que liberadas e aprovadas legalmente pelos entes, estando a adutora já em fase de execução de projeto complementar e de contratação”, comunicou a concessionária.

O relator da CPI, vereador Elias Barbosa (Podemos) apresentou requerimento para que a BRK informe detalhadamente como foram executados os investimentos informados na ordem de R$ 170 milhões. A solicitação foi aprovada pela comissão para encaminhamento à empresa.

Agenda

A pedido do presidente Helder do Táxi (MDB), a Comissão agendou para o dia 9 de abril, terça-feira, às 16h30, diligência no condomínio London, com acompanhamento da Consultoria Técnica Especializada da Câmara.   

CPI

Fazem parte da CPI os vereadores Helder do Táxi (MDB), presidente; Elias Barbosa (Podemos), relator; Terezinha da Santa Casa, secretária; João Bano (Podemos) e Waguinho da Santa Luzia (Progressistas) membros. Acompanharam os trabalhos o procurador da Prefeitura, Paulo Roberto Barcellos; o procurador jurídico Rivanildo Pereira Diniz e os representantes da BRK, Mariana Sanches Luiz, gerente administrativa; Rogério Lima, gerente Comercial, e Alexandre Leite Oliveira, gerente de Operações.

As reuniões no Plenário Vereador Vitório Bortolan são transmitidas ao vivo pelos canais de comunicação do Legislativo, no YoutubeFacebook e site.

COMENTÁRIOS